Drywall na Arquitetura: importância e como escolher um curso?

Por GypCenter em

Versátil e moderno, é a melhor definição que podemos dar para o drywall. Uma técnica que apesar de ser usada nas construções brasileiras há vários anos, nos últimos tempos ganhou fama pela sua praticidade, custo benefício considerável e por se encaixar em diversas etapas dentro de uma obra.

Na verdade, hoje, um conjunto de produtos que podem construir vários elementos de decoração é o que chamamos de drywall na arquitetura. Os principais produtos desse sistema são: as chapas de gesso acartonado (aquela com miolo de gesso e papel cartão de fora), os perfis galvanizados e outros acessórios complementares como parafuso, massa e fita de acabamento. Além disso você tem ainda upgrades para melhorar seu sistema mono por exemplo a lã de vidro ou de rocha que aumentam o isolamento acústico.

Segundo a Arquiteta Luciana Paixão, “mesmo já sendo utilizado há muito tempo, o drywall voltou a ser lembrado, por ser um conceito em que a obra é mais técnica, sustentável e otimizada.”

As paredes feitas sob essa técnica projetam mais economia na construção civil, pois é um sistema bem mais limpo e de rápida implantação, diferente das construções de alvenaria.

Formas de uso do drywall na arquitetura

Um uso bem interessante para o drywall é na colocação do forro e requer alguns cuidados. A técnica ajuda a absorver os movimentos naturais da construção e reduz o aparecimento de trincas e rachaduras no forro. Conforme explica Luciana Paixão,“para a fixação do forro devem ser usadas placas específicas a serem colocados no teto. Elas são parafusados na estrutura suspensa de aço galvanizado, enquanto o forro fica suspenso com o uso de tirantes em uma laje ou preso ao telhado.”

Para ajudar a entender melhor os usos e como pode ser usado na sua obra Luciana, esclarece algumas dúvidas sobre o drywall

A arquiteta Luciana Paixão tira dúvidas sobre drywall

O drywall é um produto-chave nos projetos arquitetônicos modernos. Quais as melhores formas de usá-lo?

LP- Com certeza o drywall é a opção mais usada quando se pensa em obra hoje, pois além de sua versatilidade você tem ainda um ganho de qualidade que nenhum outro sistema tem. Com o drywall podemos fazer paredes, forros simples e decorados, sancas, estantes, painéis decorados, nichos, divisórias entre ambientes além de obras em curvas.

Quais os acabamentos mais indicados para serem feitos com o drywall?

LP- O drywall é um material que aceita praticamente todos os materiais de acabamento como tintas, texturas, papel de parede, fórmica, revestimento cerâmico e granitos. Um item que não é indicado é a pintura epóxi a base de solvente.

Ele pode ser usado em quais ambientes dentro de um projeto residencial? (áreas internas e externas)

LP- Como este é um sistema muito versátil e com vários componentes, na verdade fazemos um jogo de lego e podemos montar muita coisa, como: paredes internas, paredes de banheiro e cozinha (área úmida), paredes externas, paredes acústicas como até cinemas, paredes térmicas em que o calor não passa para dentro. Tudo isso a gente atende com a variação de tipos de placa que existem hoje no mercado, e além disso tem ainda mais!

Outra opção com este sistema é usar perfil que se chama de steel frame, que é similar ao perfil de drywall mas permite que você faça a construção inteira de uma casa com este sistema, sem precisar de tijolo, pilar ou viga de concreto.

Apesar de ser uma técnica já conhecida, o que há de novo no drywall?

LP – O uso de painéis prontos é algo recente no conceito de drywall. Eles já vêm com o revestimento – normalmente um cartão melamínico ou de PVC, em cores e padrões variados – o que acaba dispensando a etapa de acabamento.

Também é possível aplicar o drywall parede sobre parede. A técnica é feita de modo a nivelar as superfícies que, geralmente, são tortas de origem. Assim é possível aumentar o conforto termo acústico no ambiente de instalação.

Ainda temos novos modelos de placa que tem uma performance diferenciada em questões como desempenho acústico, resistência a impacto, capacidade de suportar cargas penduradas e até placas que resistem ao raio X de clínicas e hospitais.

O drywall aguenta qual tipo de carga? Até qual limite ele pode ser usado na obra?

LP – O drywall é uma tecnologia altamente resistente, por isso a forma de aplicação também utiliza alguns itens para aguentar o peso da parede.

Por exemplo, pode ser usado qualquer objeto com até 10 quilos para prender a chapa Standard ST, enquanto pesos maiores são usados para a instalação dos perfis em até 18 quilos. Superior a esse peso, é necessário utilizar reforços ou ainda distribuir a carga.

Além disso, as paredes ou peças em drywall conseguem suportar diversos materiais, mostrando ser um conceito bastante versátil. Por isso, é comum encontrar a técnica em bancadas de pedra ou como painéis sustentando grandes televisores. Para isso, depende um pouco do tipo de material usado no acabamento. A madeira tratada, por exemplo, ou uma chapa de aço galvanizado, são os mais utilizados para dar sustentação aos objetos combinados a técnica

A Arquiteta ainda indica alguns cursos para arquitetos ou para quem quer começar a entender e queira aprender mais sobre as técnicas usadas no drywall. A Gypcenter possui curso de introdução e aperfeiçoamento. Conheça!


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *